sábado, 21 de novembro de 2009

Barracas na praia? Alguém pensou nisso?


Perguntar não ofende. Porque tanta afobação na decisão do estilo das barracas de praia? Alguém já se perguntou quantas são necessárias em cada praia e se elas são obrigatórias em todas as praias?

Será possível que algum cidadão pipense com inteligência mediana se pergunte se nossa comunidade deveria ter uma ou mais praias totalmente proibidas para vendas de produtos que não seja por pessoas à pé e andando com seus produtos, com interdição de parada sob o risco de perder a licença?

Será que há mais algum algum morador, além de mim, que acha que Pipa deveria ter algumas praias sem transformação humana? Praias selvagens, Protegidas? Elegantes e tranquilas, sem bafaculê? Sem as sórdidas cadeiras de plástico branco, sem garçons oferecendo coisas e interrompendo conversas até quando não sentamos nas suas cadeiras? Sem os esgotos de cozinha, os piores poluidores - muito mais do que resíduos de banheiros, que elas despejam nas areias onde sentaremos amanhã?

Vamos entupir nossas praias públicas com música alta e parasóis com marca de cerveja ou cartão de crédito (que os turistas levam para casa em todas as suas fotos?

Vamos escolher para nós como nossa imagem de marketing os "resorts" bregas do Caribe, quase todos em dificuldades econômicas e com o infame "all inclusive" que ofende os nativos?

E não me venham dizer que a Praia das Minas já é preservada porque é onde menos gente vai exclusivamente por causa de sua natureza hostil: excesso de vento e mar perigoso.

A Baía dos Golfinhos vem lenta e escandalosamente sendo ocupada por cadeiras e barracas, com a cervejinha de sempre e o Parque Natural está sendo agredido, até pelas milhares de quengas de côco que os vendedores ao invés de levarem de volta para casa depois de esvaziadas, jogam na falésia? E a tralha de cadeiras quebradas e quardasóis em pedaços que vivem jogados na areia, na falésia e na vegetação desta que é nossa praia mais atraente para os visitantes?

Ou vamos oferecer como nosso charme e atração uma paisagem honesta, modesta, simples, não adulterada, coisa rara no mundo de hoje e que europeus procuram como o ar puro?

Praia é para bronzear? Socializar? Nadar? Surfar? Ou beber cerveja com pastel em deselegantérrimas cadeiras e mesas de plástico, que substituíram a areia alva e pura?

Peço que se alguém pensa que não é necessário transformar as praias de Pipa numa poluída "Ponta Negra do Sul", que se manifeste e diga o que pensa, pois já estou começando a pensar que só eu, brasileiro da gema, e os europeus e americanos gostamos de praias naturais e não extensão das "Passarelas do Alcóol" que mataram o turismo de qualidade de Porto Seguro?

Pensem bem pipenses! Vamos virar Porto Seguro e destino único dos charters da CVC? E morrer na praia?

Triste destino para uma cidade linda mas condenada ao fracasso porque muitos de seus habitantes - principalmente os que mandam - só pensam no lucro, um trôco, rápido, fácil, às custas do patrimônio público.

Pobre Pipa, que os céus tenham piedade de tí... e de nós, teus moradores amantes apaixonados por tua beleza natural!

Pelo fim da destruição impune de nosso, meu, seu, patrimônio natural! Chega de miséria intelectual!

Alguém aí acordado?

15 comentários:

silvia groto disse...

Há 12 anos atrás, quando cheguei pela primeira vez em Pipa, fiquei impressionada com a beleza da Enseado do Golfinhos, "o Curral". Naquela época, o curral ainda existia e era possível ver seu Antônio pequeno por lá. Fiquei tão maravilhada com a beleza do local que 6 meses depois larguei profissão e família para vir morar no "paraíso". Durante esses anos vi o Curral passar por muitas transformações. Vi um lava jato ser construido na beira da falésia, escadas, tunel, barraca. Vi também, a falésia cair graças a proximidade do tal lava jato, a maré e a chuva derrubar as tais escadas (fato muito comemorado pela comunidade), vi a barraca ser queimada em protesto a ocupação clandestina e, vi também, o tunel ser embragado e lacrado pelos órgãos ambientais. Hoje, não reconheço mais o Curral... cadeiras e mais cadeiras... vendedores... cocos vendidos e esquecidos por lá...assaltos... barcos de passeio que burlam as regras da Refault e se amontoam afugentando os golfinhos... é tudo muito triste... Acredito sim, que algumas praias devam ser mantidas intactas e o Curral, com certeza, é uma delas. Sou solidária a bandeira levantada pelo Blog... Temos que pensar em ações que possibilitem a reversão dos danos causados pela ocupação desordenada e a falta de fiscalização do poder público... O que fazer ?... Abaixo assinado ??? Uma campanha ??? Uma lei municipal tornando a enseada uma área especial ??? Vamos debater a respeito... e tentar concretizar ações. Como sempre, parabéns ao blog pela imparcialidade e o tratamento dado a questões que precisam ser refletidas e debatidas por todos.

Jack disse...

Quantas lembranças boas, hein Silvia?
Lendo seu comentário me lembrei que, no 2002, Eddy Polo fotografou seu Antônio pequeno e seus companheiros de muita vivência realizarem o "Ultimo Curral" na baia dos golfinhos; ECA13 publicou as imagens simbólicas na web.
A gente deveria mesmo declarar pelo menos a praia do Curral: Monumento Natural Totalmente Preservado, lugar bonito e especial por não ter nada! Nada mais que a Natureza!

Editor Chefe disse...

Carlos Gomes leu este post, ficou ele também com saudades do passado e escreveu no seu blog sobre os currais da Pipa...
http://bit.ly/6hkiXn

Carlos Gomes disse...

Pois é...isto realmente foi um assunto que conversei com Gaspar...e vamos conversar com o prefeito para resgatarmos estes currais de peixes...

Anônimo disse...

Antes de mais nada C.Gomes, Nilsinho e Gaspar deveriam se preocupar com a aplicação do TAC sobre os abusivos na praia e do Regulamento da REFAUTS.
Feito isso, já a coisa seria bem diferente...

Carlos Gomes disse...

Olá Sílvio, bom dia!

Você está coberto de razão...mas faça o seguinte: envolva a comunidade e marque uma reunião como foi feita em Tibau do Sul(Centro), para discutirmos as necessidades emergenciais de Pipa...e pode ter certeza, vamos atacando ítem a ítem...trabalhando como povo e de forma efetivamente democrática...alguma coisa já foi feita, mas podemos fazer mais e envolver mais pessoas...
Abraços

Anônimo disse...

Acho que deveríamos centrar as discussões em como transformar a Enseado dos Golfinhos, conhecida também como a praia do curral, numa área especial, sem a presença de barracas e vendedores. A presença dos golfinhos e do santuário ecológico já seriam razões suficientes para se requerer a preservação total desta área. Recuperar o antigo curral, pode até ser, mas a ocupação irregular é crítica agora e isto é oque tem que ser debatido e solucionado já!!

Anônimo disse...

silvia , jack
quantas saudades
saudades do curral , da ida e vinda dos golfinhos bailando no ar , da solidão daquela praia tão linda .
saudades da nossa rua principal , semi deserta , mas onde todos ganhavam o suficiente pra viver com qualidade .
saudades de andar nas ruas e uma manga caía em nossos pés , quando não em nossas cabeças , mas ninguém reclamava , e turista achava bonito ; e dos imensos cajueiros .
saudades de um comercio simples , onde mauricio da pizzaria pipa brasil fez ali um lugar rustico e que combinava com a região , até parreira passava sôbre as mesas , e diga-se de passagem , foi ele que introduziu os fogos na praia no reveillon ; onde se comia bem em qualquer restaurante , pois todos eram simples , condizente com a região ; lembremos tbm da soparia do patrick , na rua , era um luxo .
saudades da boate calangos , onde o muro era simplesmente uma cerda de palha de coqueiro , e lá dentro não tinha mesas , apenas troncos pra gente sentar , e dançar na areia .
saudades do sitio verde , onde tudo era verde , não é mesmo silvia .

Anônimo disse...

continuando ...
saudades das festas no hotel pousada da pipa , onde farmacia e sua irmã leni recebiam a todos e sempre sem distinção .
saudades da praia do amor , onde se brincava com os carangueijinhos na areia , e nos poçinhos com os peixinhos de toda cor .
saudades da fartura de peixe em nossas mesas .
saudades de uma pipa que tinha cachorros mas não existia calazar , e de dengue , nem se ouvia falar , mulher não tinha cancer de mama , e homem não tinha cancer de próstata .

Anônimo disse...

continuando ...
até saudade dos apagões no reveillon ... acontecia tão naturalmente que turista não se importava com isso .
saudade de ver antonio pequeno em sua calçada declamando seus versos a quem passava , e de sr luiz limpando as ruas a troco de um prato de comida , mas feliz .
são muitas saudades , daquele tempo , e muitas e muitas .

Anônimo disse...

continuando ...
hj reclamamos da falta de turista , mas por quê ...
será que eles querem vir pra cá descansar , ou ficar entre paredes de concreto , como vivem em seus lugares .
quem quer curtir natureza , não vê mais nada , nem arvores , coqueiros se acabaram , um monte de shopings , cadê os nicos , calangos andando nas ruas , até as cobras foram embora .

Anônimo disse...

continuando ...

sr editor deste blog , tem muita gente acordada sim , mas aqueles que sobreviveram daqueles tempos , mas o que fazer .

já tanta coisa nesta decada foi implantada , mas nada foi adiante... interesses maiores do que apenas conservar o que a natureza já nos deu pronto .

desculpe , não sou pessimista , mas acho que não tem volta .

hj . nossa pipa foi um sonho sonhado .

Nino disse...

Amarei-te eternamente Praia da Pipa
(Adaebson Santos "Nino)

Amarei-te eternamente,
De brisa forte, de chão quente
Praia linda, povo contente
São Sebastião protege a gente
Na beira do mar, num sol de rachar a pele já ardente.

Os barcos e o ócio
Vida calma, mar morto
Moréias, Tartarugas, Tainhas
Corós, Sardinhas, golfinhos, peixe boto.

Fartura no fundo do poço
Água doce e saborosa
Na cacimba-calabouço
- Anda logo essa fila!
Pega a água não desfila!

Antes era uma vila,
Hoje é um alvoroço.

Luis Roque disse...

Realmente amigas e amigos tudo isso é verdade, mas nesse tempo não tinhamos o numero de turistas que tivemos até 2 anos atráz, então as coisa tendem a evoluir só que deveriam evoluir ordenadas e não como aconteceu, vocês veêm a familia de quem muito poderia ter feito pelo Município ricas sem escrupulos, enricando a custa dos negocios que lhes enteressavão, e deixando os estrangeiros comprando as terras, comprando os negócios dos nativos, mas aí os nativos não reclamavão, pois estava entrando o dinheiro no bolso deles, terras que nem na Europa têm o preço que hoje pedem por aqui, o desordenamento de tudo isto se deve a uma administração sem visão nenhuma, sem interesse algum pelo bem estar das pessoas do Municipio e dos turistas, e inclusive pelos investidores... investidores sim porque sem ínvestimento não tem crescimento nem riqueza, podia-se construir em todo lado, cadê os passeios na rua principal da Pipa, cadê os estacionamentos que com o crescimento do Municipio principalmente na dita Pipa deveriam ser criados... Criados sim a Prefeitura poderia muito bem ao longo da estrada principal da Pipa comprar e construir os dito parques de estacionamento, era uma questão de visão, ou não é verdade??? cadê as regras, cadê as leis... infelizmente nada disso foi feito.
Agora mais uma vez se entrou pelo cano, está tudo na mesma se não pior.
Será que teremos que candidatar e eleger um cidadão de fora para isto mudar, pois é visto que realmente os candidatos Nativos não têm tido a visão que nós Cidadãos queriamos.
Muito haveria a dizer, mas talvez numa outra altura.

Anônimo disse...

Nada de construções e comércios nas melhores praias da Pipa.
Também odeio ver aqueles barcos do Aventureiro que perseguem golfinhos e assustam os turistas que estão tomando banho de bar.
Praias naturais, help!